.....................................................
Que bom que você entrou Convidado
Últimos assuntos
» Consequências da Reeleição
Dom 17 Jun 2018, 2:08 pm por EVANGELISTA/RJ/MSN

» Céticos afirmam que Óvnis são descritos na Bíblia
Dom 10 Jun 2018, 4:22 pm por rbarros

» Noticiário Escatológico
Dom 10 Jun 2018, 4:30 am por Jarbas

» Debate sobre aborto - tópico oficial
Ter 05 Jun 2018, 12:59 pm por Criaturo

» Jesus está às portas
Seg 28 Maio 2018, 3:10 pm por Jarbas

» Inferno e a teoria de Aldous Huxley
Seg 28 Maio 2018, 10:19 am por Zigurd

» Fórum Adventista no Facebook
Seg 28 Maio 2018, 7:07 am por Homini

» Análise de João 10:30 - A Unidade e o Nome de Deus.
Sex 25 Maio 2018, 11:26 am por Zigurd

» O que é idolatria?
Qui 17 Maio 2018, 1:17 am por Cartman

Consulta Bíblica
Ex: fé - Ex: Gn 1:1-10


Encontrado manuscrito inédito sobre vida de São Francisco de Assis

Ir em baixo

Encontrado manuscrito inédito sobre vida de São Francisco de Assis

Mensagem por rbarros em Sex 30 Jan 2015, 8:05 am

O francês Jacques Dalarun, especialista em estudos franciscanos, descobriu uma biografia inédita de São Francisco de Assis que apresenta novos dados sobre a vida do santo pobre.

O jornal da Santa Sé, “L’Osservatore Romano”, informou nesta segunda-feira sobre esta descoberta em biblioteca particular daquilo que parecia ser “um manuscrito insignificante” e publicou uma entrevista com o historiador, que sustenta que esta nova biografia apresenta detalhes interessantes, como a passagem que narra uma viagem de Francisco, filho de um rico mercador, a Roma.

Esta versão mantém que “Il Poverello” (“O Pobrezinho”), como ficou conhecido, realizou esta viagem não como peregrino, como se acreditava, mas como um negociante surpreendido com o sofrimento dos mendigos que se amontoavam.

“Nada a ver com a versão edulcorada que se divulgou sucessivamente: um Francisco já religioso que sofre com os mendigos (…) Nesta versão o contraste é muito mais forte. Não é uma mudança paulatina, mas um verdadeiro choque”, explicou Dalarun.

Além disso, o livro revela outros detalhes “muito concretos e realistas” sobre, por exemplo, a forma como Francisco remendava sua túnica, usando fibras extraídas das cortiças das árvores.

Francisco morreu em 1226 e no ano de 1260 o Capítulo Geral da Ordem Franciscana encomendou uma biografia oficial para acabar com todas as versões não aprovadas pela congregação. No entanto e com o passar dos séculos foi possível encontrar estas obras anteriores.

Trata-se dos relatos de Tomás de Celano, um dos homens mais próximos a São Francisco, e que no ano 1228 recebeu a incumbência do papa Gregório IX de narrar a vida do santo. Esta primeira biografia foi encontrada no século XVIII, enquanto em 1806 foi descoberta uma posterior, redigida pelo mesmo autor no ano 1244.

A obra descoberta por Dalarun é datada de 1237 a 1239 e foi escrita pelo mesmo amanuense: Tomás de Celano. Esse achado abre um novo episódio de uma das pesquisas historiográficas mais “vastas e complexas”: a busca de “vidas” não oficiais de “il Poverello”.

“Estava procurando este texto há sete anos. Durante os meus estudos, encontrei fragmentos soltos e tudo indicava à existência de algo intermediário de Tomás de Celano, sucessiva à primeira versão e precedente à segunda biografia que conhecemos”, apontou.

O especialista afirmou que “ainda resta muito por compreender”, mas que encontrou entre suas páginas outros “elementos de interesse”, como um resumo escrito entre o ano de 1232 e 1239 da primeira versão, “considerada longa demais pelos contemporâneos”.

“É um texto amplo: a edição latina conta com 64 partes com algumas folhas de papéis. Muitos comentários acrescentados na primeira versão foram eliminados e há alguns pontos novos”, explicou.

Nesta nova biografia, segundo referiu, “se ressalta muito mais a experiência da pobreza” mas, não em sentido simbólico ou meramente espiritual, “mas real”. Além disso, o autor aprofunda sobre a questão da fraternidade com a criação, um traço essencial da filosofia franciscana.

“No começo, Tomás de Celano falava disto como algo admirável, estranho e surpreendente, mas substancialmente alheio a sua experiência. Nesta versão faz uma reflexão sobre o fato de que a fraternidade com a criação afeta também os seres carentes de consciência, não só os seres humanos”, acrescentou. (Fonte: UOL)


Que o espírito dos selvagens permaneça um espírito selvagem! (Pierre Clastres - antropólogo, etnólogo e filósofo francês)
avatar
rbarros
Diamante Azul
Diamante Azul

Número de Mensagens : 1704
Idade : 54
Localização : São Paulo - Capital
flag : Brasil
Data de inscrição : 14/05/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum